Jabaculezinho de fim de ano: Novos Estudos 88 tá na mão

Desde o começo do ano, tenho tocado a revista Novos Estudos, publicada pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, o Cebrap, aqui em São Paulo. A Novos Estudos está prestes a fazer 30 anos, uma façanha para publicações desse tipo no Brasil: desde sua criação, em 1981, a revista procura ser um espaço multidisciplinar de discussão de temas cruciais da atualidade nos campos da política, economia, cultura e sociedade, brasileira e mundial.

Tenho me esforçado para manter o padrão de qualidade da revista: ensaios e artigos científicos originais, que contribuam de forma definitiva para suas áreas e que ajudem o público leitor a entender melhor a realidade em suas várias facetas, além da tradução de artigos com o mesmo perfil.

Na minha ainda breve gestão como editor, me orgulho de ter publicado nos três números de 2010 artigos como o relato sobre o terremoto no Haiti e suas consequências, pelo antropólogo da Unicamp e ex-editor da Novos Estudos Omar Ribeiro Thomaz (acompanhado de um ensaio fotográfico de Cris Bienrrenbach, da equipe de Omar, que registrou o terremoto); uma avaliação profunda e engajada do 3o Programa Nacional de Direitos Humanos, feita pelo professor Sérgio Adorno, da Universidade de São Paulo; e um ensaio de Jacques Rancière, sobre realismo literário e democracia, todos os três no número 86, de março deste ano. A edição de julho (87) trouxe um dossiê de avaliação do governo Lula, com artigos de Glauco Arbix (sobre política de ciência, tecnologia e pesquisa), do embaixador Rubens Ricupero (sobre política externa), do professor Ricardo Abramovay (sobre políticas de desenvolvimento sustentável) e uma análise política de Fábio Wanderley Reis, além de ter colocado pela primeira vez à disposição do público brasileiro traduções para o trabalhos do historiador da ciência norte-americano Steve Shapin, um artigo sobre a “darwinmania” que tomou conta da Inglaterra em 2009 e o que ela revela sobre o entendimento (e principalmente a sobre a falta de entendimento) do lugar da ciência na cultura moderna e do seu conterrâneo e crítico e historiador da arte Michael Fried, sobre o filme Zidane, de Douglas Gordon e Philippe Parreno. E ainda um breve ensaio do sociólogo sueco Göran Therborn, onde formula uma tipologia da desigualdade.

O último número deste ano (novembro/88), que chega aos assinantes e às livrarias no fim dessa semana, me deixou bastante satisfeito, também: o número me parece bastante atual e atento a questões urgentes. Eugênio Bucci preparou uma análise sobre as experiência com TV pública no Brasil; Fernando Limongi e Rafael Cortez analisam os resultados das eleições de 2010; o professor André Singer dá continuidade às suas reflexões sobre o governo Lula em artigo sobre os rumos do PT; Eunice Durham resgata a trajetória das políticas educacionais das últimas décadas; Tadeu Chiarelli fornece algumas razões para que se comece a repensar as interpretações mais estabelecidas da arte moderna brasileira, e o eminente cientista social mexicano Victor Manuel Durand Ponte analisa a origem da presente crise social mexicana.

Ainda, a revista traz um dossiê com três artigos sobre Joaquim Nabuco, em homenagem aos 100 anos de sua morte, com artigos de Marco Aurélio Nogueira, Angela Alonso e Leslie Bethell. Por fim, a NEC (como carinhosamente a chamamos, pelo menos por escrito) de fim de ano traz um relato do dia a dia nos territórios palestinos e as limitações colocadas à vida cotidiana de seus habitantes pela política de controle territorial do governo israelense, escrito pelo intelectual palestino radicado nos EUA e professor da Universidade da Califórnia Saree Makdisi.

A arte da capa e o ensaio visual dessa edição ficaram a cargo de Fabio Zimbres, encerrando com classe o ano, que trouxe também os trabalhos de João Loureiro (no. 86) e Ana Prata (no. 87).

Assinar a revista é incrivelmente barato. Graças ao auxílio da Fundação Carlos Chagas, temos conseguido viabilizar a revista a um preço justo. Se você se interessou, considere a possibilidade de fazer uma assinatura.

Instituições de ensino e centros de pesquisa podem também receber, gratuitamente, uma coleção de Novos Estudos. É só pedir com jeitinho.

E, nessa sexta, a Novos Estudos e o Cebrap recebem o professor André Singer para o seminário “A segunda alma do Partido dos Trabalhadores”, às 16h. O evento marca também o lançamento do novo número da revista. Confira aqui o artigo de Singer.

Boa leitura.

4 comentários sobre “Jabaculezinho de fim de ano: Novos Estudos 88 tá na mão

  1. E que legal que você chamou o “Rafael Cortez”, mas os fãs do CQC vão sentir a falta dele. Rá!

    Eu vou assinar dessa vez, apelou até com o Zimbres na capa.

    Parabéns, Jay!

  2. quero um artigo sobre a presenca de ricky como elemento desestabilizador de um centanario alvinegro…

  3. total, vou encomendar um artigo no mais puro estilo “queer theory” sobre o ricky.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s