“Tem gente que não sabe fazer política se não tiver inimigo”, afirma Lula

Como disse o Demétrio, na caixa de comentários aí do lado, a conversa só está começando. Celso Amorim falou a mesma coisa com outras palavras: “O Brasil só colocou a bola na área”. Pelo jeito, muita coisa ainda vai acontecer. E como ela rendeu tanto no Guaciara seguem alguns links muito interessantes.

Jerusalem Post

Herald Tribune

El Pais

AFP

Reuters/Estadão

E a conversa continua!

22 comentários sobre ““Tem gente que não sabe fazer política se não tiver inimigo”, afirma Lula

  1. Minha aposta é a seguinte: se o Irã mandar a carta à AIEA até segunda nos termos acordados com Brasil e Turquia, a China recua das sanções no CS.

  2. Mando o link (que suponho seja o citado acima do Herald/NYT, pra quem não tem o acesso, em inglês, sorry)
    http://www.nytimes.com/2010/05/22/world/22sanctions.html?ref=global-home

    Essa parte eu ia comentar, antes de ler a matéria. A Rússia aproveitou pra conseguir passar a venda, travada há tempos, e peitou, num momento em que os EUA precisam do voto e Moscou pode pedir o que quiser. Tiveram a manha. O sistema militar, no caso, é foda, complica seriamente a possibilidade de ataque israelense.

    A outra observação é que está ficando claro a falta de proposta e saída do governo Obama. Simplesmente, não tem plano B. Não sabem como lidar com o problema.

    Sanções concessivas para a direita americana e Aipac e cia. jogaram o governo dos EUA no limbo, além, claro, de tornar todo aquele discurso de multilateralismo e o do Cairo e mais os vídeos enviados a Teerã por água abaixo. Acho que os caras estão perdidinhos.

    Outra coisa é que eles falam em duas vias, sanções e acordo, ao mesmo tempo. O problema, e o Brasil percebeu, é que os mullahs são jogo duro e, além de saber que as sanções não vão ter muito efeito, ficam melindrados, podendo não topar nem conversar. Daí, sai da mesa e não tem plano B.

    A China é um eterno mistério. Tô lendo muita coisa desde então e não vi nada realmente oficial (só no dia das sanções, opiniões concordantes com os EUA, mas ambíguas, que podem perfeitamente virar o oposto, tipo, eu não disse isso!).

    A cobertura da Al Jazeera está excelente:
    http://blogs.aljazeera.net/americas/2010/05/18/dc-lula-nice-try-too-late
    Esse post é o último, mas tem vários, e bons.

    Irã, Turquia e Brasil estão afinados, a palavra é “confiança”.

    A ver

  3. Tenho dúvida de uma coisa. É, sob as leis internacionais, ilegal aplicar sanções unilaterais ao Irã, digo, um país é soberano para tal, sem passar pelas instâncias multilaterais? Por exemplo, a UE pode resolver cortar certos negócios já acordados…

    É óbvio que as sanções são pouco pra Israel, querem atingir a indústria de energia, que é o que pega. Mas não acredito que a China vá deixar passar. Tipo 11% do petróleo que a China importa é iraniano, o que é muito e necessário pra manter a máquina poluente funcionando e, sobretudo, o crescimento de dois dígitos.

    Esse artigo, do Washington Post, é bem melhor que o do NYT sobre a Rússia.
    http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2010/05/21/AR2010052102590.html

    E tem isso, o Egito, do ditador Mubarak, amiguinho dos EUA, tá colocando pressão:
    http://www.ynetnews.com/articles/0,7340,L-3892418,00.html

    Desculpa aí, a verborragia, mas…

  4. Dois textos bons pra discussão: Lauren Philipps (2008), “The transformative power of large developing countries”, sobre perspectivas geopolíticas até 2030 face à emergência desses novos atores, sobretudo os quatro BRIC; e Neil Macfarlane (2006), “The R in BRICs: is Russia an emerging power?”, sobre a política externa russa de 1991 para cá.
    Tenho versões digitais, se alguém quiser, envio para um dos editores do blog e eles enviam pra quem quiser receber.

  5. Oi Demétrio, massa demais, manda pra gente que dá pra disponibilizar pra galera aqui no blog mesmo. Tenho muito interesse no assunto. Abraço.

  6. Alguns dos textos indicados pelo Demétrio acabam de inaugurar a biblioteca do Guaciara, a Bibliotoca Telê Santana.

    “The R in BRICs: is Russia an emerging power?”
    https://guaciara.files.wordpress.com/2010/05/macfarlane_2006.pdf

    “The transformative power of large developing countries”
    https://guaciara.files.wordpress.com/2010/05/phillips_2008.pdf

    Hoje ainda eu termino de postar outros links para textos em PDF e explico tudo em um post. Valeu demais Dema!

    https://guaciara.wordpress.com/biblioteca/

  7. E o Irá entregou a carta…
    A semana promete capítulos emocionantes!

  8. Não vai demorar e logo surgirão os defensores de Israel dizendo que o documento foi forjado por alguém (de preferência por um país muçulmano), impressionante como os israelenses não fazem nada de errado e como o resto do mundo gosta de forjar provas contra eles, que nos diga o boca mole do Henri Sobel.
    Em relação aos inimigos para se fazer politicagem, os EUA são mestres em fazer isso: URSS, Coréia do Norte, Vietnã, Nicarágua, Cuba, Iraque, Afeganistão, Iraque de novo. Sempre tem de haver um país que sirva para aquecer a indústria bélica ianque, enquanto isso milhões de vidas vão sendo destruídas para que eles continuem sua cruzada elitista no mundo.

  9. Fala sozinho não Pablo, tenho pouco a acrescentar, mas venho conferir cada contribuição sua pra ficar mais informado sobre o assunto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s