Muitos anos de Guaciara

Acho que já disse, aqui mesmo, e a idéia provavelmente não é minha, que depois dos 30 dá para começar a falar de si mesmo sem parecer muita afetação. Então vou aproveitar o aniversário do blog para uma breve egotrip.

Uma característica pessoal minha, que acho que nunca vai desaparecer – luto conscientemente contra ela há uns dez anos, com sucesso localizado e errático – é uma timidez e uma insegurança além da conta.  De certa forma, com a idade a coisa simultaneamente melhora e piora: a gente vai se sentindo à vontade com algumas pessoas e situações (por incrível que pareça, por muitos anos fui professor, a profissão que me parecia menos recomendada), mas ainda assim fica o sentimento de fragilidade da nossa posição na vida em geral, uma impressão de que tudo está por um fio.

O resultado é ansiedade e uma certa mania de se esconder do mundo. Nunca me senti, nem acho que vá, totalmente à vontade com vários tipos de situações, e alguns tipos de pessoas. Lembro dos meus primeiros anos de faculdade, no curso de Filosofia da Universidade de São Paulo, em que a desenvoltura dos meus colegas me diminuía. Eles tinham lido tudo, entendiam tudo, eu não.

Mas foi lá mesmo que, por meio do meu irmão Demétrio, que fazia o curso de Ciências Sociais, fiz vários grandes amigos (eu não estava na minha época mais sociável, e me pendurava na turma do Demétrio – por várias razões, mas principalmente porque eles eram muito mais relaxados e boa-praça do que a maioria do pessoal do meu curso). Uma lista incompleta, injusta, inclui o Itaquê, Bugrão, Guga, e o Tiago.

Por meio desses caras todos, aprendi coisas importantes pracas: uma determinada postura diante da vida, principalmente, que era política mas também mais profunda, e envolvia um compromisso com as coisas e pessoas que estão em torno da gente, e com a alegria. Algo completamente diferente da abstração, profundidade e melancolia fingidas que  pareciam ser o destino dos estudantes de Filosofia.

Por meio do Tiago conheci o Lauro. À época, eles eram muito parecidos – ou eu não havia aprendido ainda a perceber as diferenças, físicas e de temperamento, dos dois. Uma das primeiras coisas que eu ouvi do Lauro foi que ele sabia que precisava ser simpático com as pessoas desconhecidas que o cumprimentavam, pois podia ser um amigo do Tiago que, confundindo ambos, se ofenderia com outra reação. Não sei se aprendi a lição, mas entendi essa maneira de colocar a simpatia meio acima de tudo – acima do próprio desconforto eventual de ser confundido com o irmão, por exemplo.

Os dois me apresentaram (e a muita gente que conheço) muita coisa ligada à música, às artes, literatura, cinema, etc., além dos papos sobre política em que os dois sempre se envolviam de forma entusiasmada. A curiosidade incansável, e a generosidade dos dois, me apresentou todo um universo artístico e, de novo, uma postura diante dessas coisas: sem frescura, sem melancolia, sem caretice (o Rafa Campos [e o Alexandre Casatti, óbvio] é outro profeta dessa idéia sobre a vida). Com os dois curti as coisas mais cabeçudas e algumas das melhores noitadas da minha vida.

Para encurtar a história, o Guaciara e a turma que orbita em torno dele foram e são coisas que me ajudaram demais, e me ensinaram muita coisa, inclusive aquelas que têm a ver com a vida mesmo. Vira e mexe eu penso nesses acasos da vida que fazem a gente conhecer pessoas que são responsáveis por  a gente levar a vida para um determinado caminho ou outro.

Acho que esse é o espírito que anima o blog, e que só num blog é possível. Num blog não tem disputa por prestígio, por estar certo, por ser mais lido, por ter mais espaço, etc. Sem auto-comiseração, eu às vezes me refiro a mim mesmo como “o policial loiro do Guaciara”. A piada é com o seriado de TV “CHIPS”, dos dois motoqueiros da polícia da Califórnia: todos lembram de Frank Poncerello, o policial latino, mas ninguém lembra do Joe Baker, o policial loiro. A culpa é minha, porque sou menos ativo mesmo (estou fora do top ten do blog, podem conferir). E a energia dos dois é, convenhamos, difícil de acompanhar.

Depois de passada a turbulência desse começo de ano, prometo voltar à ativa. Policial Joe Baker de volta à estrada.

Poncerello e seu parceiro Baker: "Vamos até ali tomar uma?"

36 comentários sobre “Muitos anos de Guaciara

  1. tem um lance homoafetivo nessa foto que me faz pensar se não é melhor tirar ela do post.

  2. nao tira nao, jay… vamo assumir esse nosso ricky interior, grande e maravilhoso!

  3. Jay, depois que vc se pintou de mulher no bar aquele dia, tanto eu quanto o Dema ficamos muito “desgostosos” com vossa pessoa, hahahahaha.

    Bicho, como o pessoal aqui do meu prédio, rapaziada altamente descontraída também, diz: “A turma é boa”.

    Eu nem sei mensurar o tanto de coisa massa que passei com toda essa rapaziada e o tanto de coisa que aprendi. Sei que a USP também era muito desconfortável pra mim, e conhecer esse time todo, Dema, Jay, tigas, Bugre, guga, Zoio, Araçatuba, Leléo etc etc fizeram minha vidaum pouco menos tonta. E o massa que é amizade que ficou mesmo. Várias vezes, nesses nós de memória, pensei ter visto vc e o Dema em passagens da minha vida quando tinha 15 anos, lá em Pouso Alegre. Depois que o dema se juntou por alguns etílicos minutos a mente do Zóio lá em Piei, família Toledo é coisa nossa!

  4. Deve ter sido influência da mania pouso-alegrense de homem beijar homem na boca.

  5. O amor está no ar…
    (será que o guaci não poderia entrar no edital do ministério da cultura e virar tb uma revista?)

  6. “Por meio desses caras todos, aprendi coisas importantes pracas: uma determinada postura diante da vida, principalmente, que era política mas também mais profunda, e envolvia um compromisso com as coisas e pessoas que estão em torno da gente, e com a alegria.” Que lindo isso, rapazes! Foi uma das coisas mais doces que já ouvi e mais coerentes para falar do Tiago e do Lauro, esses dois tesouros! Beijos saudosos, queridos.

  7. E Joaquim: não te conheço, mas quero. Venha nos visitar em BH… a turma aqui tb é boa!

  8. Este post e a vida de todos os citados e comentáristas são a prova de que o AMOR vencerá e o mundo vai melhorar!

    Jay, parabéns! E me perdoe os vacilos.

    Beijos!

  9. Acho que sobre amor e política, tbém posso falar um pouco desses anos – qtos exatamente? uns 10 ? – que estive nas redondezas do Edifício Guaciara.

    O pouco do que eu aprendi nessa vida foi com esses meninos todos: Jay, Dema, Alê, Thiago e Lauro.

    Lembro do dia que o guaciara foi descoberto! Um achado! Um janelão enorme na altura das árvores e bem pertinho da faculdade que eu estudava. (perfeito!)

    Não esqueço também daquela sensação de estar num lugar onde a gente deve ouvir mais do que falar. Parecia um sebo – era livro pra todos lados – com grandes pensadores. Meu deus, eita povo inteligente… Dava medo!

    Mas é só prestar um pouco de atenção que a gente descobre no guaci o incrível mundo da descontração . Daí, pronto. É a mais pura animação. Haja sexo, drogas e rock’roll. Iupiiiiiiii!

    Morro de saudades de vocês todos. Ainda bem que existe esse blog. ufa! traz um pouco dessa alegria toda para aqueles que acabaram se perdendo no eixo sp – brasília – pouso alegre.

    E mais do que isso…junta a alegria com o que há de melhor sobre política, arte e música.

    Parabéns, Guaci.

    Um beijão pra vcs todos,

    Mari.

  10. O post do Jay é lindo. E hj eu falei do orgulho que tenho desse Guaci, até levei gozeira do Tutu por isso. Mas é o maior orgulho. Eu dei a maior sorte do mundo em encontrar essa turma e poder conviver de pertinho com ela (e com um pedacinho dela ainda mais perto, todos os dias, em casa).

    Ainda bem q o blog foi criado, pq tanto conteúdo de primeira, tanta alegria e alto astral tem que ser compartilhado mesmo.

    Vida longa ao Guaci!
    beijos, rapazes!

  11. Nada contra beijo na boca de barbudo em barbudo, mas essa coisa aí que o Jay falou nunca vi lá pelas bandas da terra do Thomas Green Morton não. Agora passação de mão na bunda a gente tem até um expert por lá, ahhahaa

    Se Caetano o Guaciara conhecesse, diria: “É liindo!”

  12. Gente,
    tb quero celebrar!!! me senti super contemplada na fala do Jay! tb adorei conhecer vcs, turma do amor do amar demaissss!!!!! só energia boa!!! e agora temos um representante guaci aqui em brasília!! delícia demais!!
    Parabéns ao Guaciara!!
    Beijão!
    Marina

  13. Jay, não te conheço pessoalmente. Já até editamos um livro juntos (descoberta recente, foi tudo virtual), mas pelo convívio das histórias, vc virou uma pessoa que aprendi a admirar. No entanto, meu mundo guacyara (e entorno) é presente. Um presente de pessoas que ganhei na vida. E presente porque apesar de ser descoberta recente, já é rotina nessa esfera fluida de Brasília. Alguns tenho o imenso prazer em trabalhar junto. Com outros, aprendi a ter a calma e seriedade necessária para a política (o que não nos impede de rir um cadinho de vez em sempre). Outros, viraram irmãos, parceiros de vida, de festa, de sinuca, de bebedeira, de choro que a gente tenta a todo custo segurar na saudade pelo eixo Brasília-São Paulo. Mas com a certeza de que na breviedade dos encontros, existe intensidade pra uma vida.
    Pois é. Parabéns para todos vocês. Juju

  14. Jay, muito legal o que você disse dos nossos anos de faculdade. embora eu seja muito falante, quando eu entrei naquele lugar, morria de vergonha também. Achava que não sabia porra nenhuma, nem falar direito. estar com uma galera gente fina foi muito importante.
    aliás muito obrigado Marina e Juliana. Sempre fico muito feliz com comentários femininos. Deixem sempre a sua opinião e bola pra frente!

  15. Queridos,

    As opiniões sobre o Guaciara são sempre as melhores. Essa mistura mineira-ítalo-paraibana é demais!!!

    Estamos sempre aí!

    Muitos beijos 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s