Como acabar com um jornal

Imagem do blog do Tsavkko (http://tsavkko.blogspot.com)

Pois é meus amigos, parece que os Frias estão decididos a concluir um processo empresarial inédito – a busca desesperada pela falência. Os negócios já vão mal, bem mal. Mas, sempre que têm chance, os proprietários do jornal parecem fazer força pra dar uma pioradinha.

A última foi uma das mais ridículas. Por causa de duas imagens que faziam campanha contra  o Grupo Folha, o blogueiro Antonio Arles recebeu uma ameaça de processo dos advogados da Folha de S. Paulo. Lógico que, com isso, eles amplificaram a campanha, afinal eles têm o rabo preso com o leitor (e com o ex-leitor também, pelo jeito).

Como bem lembrou o Raphael Neves, do excelente Politika etc., em seu twitter“Nem a VEJA (argh, vá de retro, cão!) veio encher o saco por causa do logo deles no selo em apoio ao @luisnassif.

Se não bastasse a ditabranda e o menino do MEP, a campanha renitente por um dos pré-candidatos à presidência, os caras agora ameaçam quem diz para não comprar o produto deles. Com isso eles estão chegando onde sempre sonharam: o fundo do fundo do poço.

Em seu sonho mais secreto, o administrador do jornal fica brigando por espaço pela máquina de xerox do bairro dele para editar o seu fanzine. Ele e um estudante de alguma faculdade disputando espaço: “Eu sou publisher, deixa eu imprimir minhas vinte cópias, seu burro, seu petista!!!”

A história aparece mais bem detalhada aqui, aqui e aqui, mas comigo uma coisa é certa: assinatura do Uol e da Folha não rolam mais aqui e não é só pela ameaça ao blogueiro. Se um jornal é burro assim pra tratar com a discordância, imagina o tanto que é pior a sua opinião sobre as coisas do mundo. Desinformação por desinformação, eu tenho ônibus, táxi e fila de banco. Tá bom já.

Abaixo as imagens (conteúdo estritamente jornalístico) que aterrorizaram os advogados do grupo empresarial da Barão de Limeira! Numa boa, parece que o objetivo dos donos do jornal é não deixar sobrar nem cafezinho nesse boteco. Do jeito que tá, até 2015, o grupo empresarial chega a meta da tiragem zero e seus proprietários vão gerir dois fanzines e 50% de um blog. Eu não vou sentir nenhuma saudade.

8 comentários sobre “Como acabar com um jornal

  1. É isto aí Lauro, precisamos ser mais seletivos, nada de dar dinheiro pra estes putos fabricarem mais do seu lixo desinformativo. Já não lia mesmo a Falha de S.Paulo, agora cancelei a assinatura do UOL.

  2. Pra quem assina esses portais pra ter acesso à net (no caso do Velox tentaram nos vender um, dizendo que era obrigatório) basta o vivente procurar um tutorial, providenciar o roteamento do seu modem e voilá: internet sem esses uol, uai e globo da vida.

  3. Fico puto da vida quando vejo as notícias sobre essa enchente em São Paulo, mostram um show de imagens, vídeos, mapas e tals, demonstrando a “força da natureza”. Fosse na época da Marta estaria a cara da prefeita, num foco bem mal feito, ao lado das imagens dos prejuízos das pessoas. Analistas teceriam teses e mais teses sobre a incompetência do governo petista e por aí vai. A semana toda seria tomada por discussões exdrúxulas (vide o último blackout), e o talvez até a Dilma seria chamada pra prestar esclarecimento.
    Mas isso é carne vaca. Me motivou mesmo é a vontade de dividir uma inquietação: será que São Paulo não terá atingido a sua capacidade suporte? Há meios reais de impedir que acontecimentos como esse se repitam, sem que sejam adotadas intervenções mais severas na feição da cidade?

  4. Respondendo ao Gilson (opinião pessoal): sim, São Paulo atingiu sua capacidade máxima. E o pior: a dupla Serra + Kassab ignora isso e ainda bota mais asfalto na marginal. Sim, há meios de contornar isso, mas não são meios urgentes, óbvio. É fogo ver o governo do Estado enaltacendo as linhas de metrô q eles tão fazendo, mas a população precisa saber que isso é o mínimo, que era preciso muito, mas MUITO mais msm pra coisa impactar no trânsito e etc paulista.

    Sobre a Folha: sua companheira em forma de revista, Veja, tá tb cavando a própria cova. É o que eu acho. E digo mais: bem feito!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s