Fim de semana quente em SP

Os irmãos do Pumu descendo o bambu
Os irmãos do Pumu descendo o bambu

Eu vou ficar aqui mesmo em BH, mas já sei que, mesmo com o friozinho, a capital paulista vai pegar fogo.

No sábado quem toca no Centro Cultural São Paulo, às 19h, é o Pumu e o Afasia. Os dois são bandas de amigos e, cada um ao seu modo, tenta ir num limite da música que toca. Formado por Rafael e Paulinho, Pumu trabalha com o formato canção como se o acompanhamento para suas letras e por suas belas melodias fossem passíveis de renvenção constante. É nessa convivência absolutamente necessária entre lirismo e improvisação que mora os encantos dessa banda de conterrâneos, quase irmãos.

O Afasia já é um projeto dos amigos Cacá e Akin. Cada um tem um referencial bem particular. Um vem do rock experimentalista do Objeto Amarelo, que mistura poesia, elementos visuais e um trabalho qcom eletrônica que é cada vez melhor. Rock barulhento porreta, coisa cada vez mais rara entre meus amigos. O segundo de um rap indignado e pouco convecional. Nunca conferi a apresentação dos dois juntos, mas tenho certeza que promete.

A galera do Speeq
A galera do Speeq

Mas o que me emociona e me entristece é a apresentação do Speeq, que acontece no domingo no Centro Cultural da Juventude, às 18h. Emociona por que eles estão chegando. E entristece por que dificilmente eu vou vê-los tocando dessa vez. A banda meio inglesa meio holandesa, reúne dois dos meus heróis musicais: Phil Minton e Luc Ex e faz um ds trabalhos mais interessantes da música de improvisação livre. Nesse show, eles vêm acompanhados do pianista inglês Veryan Weston que, sem exagero nenhum, é um dos maiores gênios da cena improv.

O Veryan já tocou com todo mundo  e como bom improvisador é de uma versatilidade absurda.

A Desmonta ainda promove uma série de outras apresentações dos músicos do Speeq, por São Paulo. Mas a banda mesmo só toca em São Paulo e Porto Alegre.

Quando o cantor inglês Phil Minton esteve no Brasil , eu e muitos amigos vivemos algumas das experiências musicais mais fortes de nossas vidas. Cantor e improvisador, Phil extrapola qualquer limite de instrumentos e oferece narrativas lindas só a partir de sua voz.

Em seus Feral Choirs – que irão acontecer também dessa vez -, ele convida a um exercício de imaginação coletiva que é uma das coisas mais poderosas que eu já vi em minha vida.  Tem um texto muito legal do Paulo Borgia sobre a banda. De qualquer forma o recado tá dado. Dois shows imperdíveis em São Paulo.

5 comentários sobre “Fim de semana quente em SP

  1. Rapeize, para quem quiser saber do itinerário do SPEEQ na cidade siga as instruções em
    http://engasgagato.wordpress.com/outros-eventos/

    05.10 – PHIL MINTON (show) e FERAL CHOIR (performance)
    Local: Café Noir às 19hs workshop, às 21h30 show e performance.
    R$ 40 (workshop+show+performance) | R$10 (show).
    Vagas Limitadas | Reservas somente por email: michelleageness@gmail.com
    Endereço: Rua Augusta, 331, SP
    Tel: (11) 3255-8448

    06.10 – VERYAN WESTON (workshop + show com Thomas Rohrer + Phil Minton e Panda Gianfratti)
    Local: Faculdade Santa Marcelina às 14hs. Grátis.
    Endereço: Rua Dr. Emilio Ribas, 89, Perdizes – SP
    Tel: (11) 3824-5800

    07. 10 – PHIL MINTON + VERYAN WESTON (show)
    Local: Casa de Francisca às 22hs. R$19 | Reservas por telefone: Telefone: 3052 0505
    Endereço: Rua José Maria Lisboa, 190, travessa da Brigadeiro Luis Antônio, SP.
    Tel: (11) 3052 0505

    08.10 – MARK SANDERS + IVO PERELMAN (show)
    Local: Casa de Francisca às 22hs. R$19 | Reservas por telefone: Telefone: 3052 0505
    Endereço: Rua José Maria Lisboa, 190, travessa da Brigadeiro Luis Antônio, SP.
    Tel: (11) 3052 0505

    10.10 – PHIL MINTON, VERYAN WESTON, MARK SANDERS, IVO PERELMAN, CHRIS MACK, MAURICIO TAKARA + KIKO DINUCCI + ROGÉRIO MARTINS (show)
    Local: Centro Cultural São Paulo às 19hs, Grátis.
    Endereço: Rua Vergueiro 1.000, SP
    Tel: (11) 3397-4002

    11.10 – SPEEQ (show)
    Local: Santander Cultural às17hs. R$10
    Endereço: Rua Sete de Setembro, 1028. Porto Alegre
    Tel: (51) 3287-5940

    OBS: Para receber informações por email, cadastre seu email em: http://www.desmonta.com

    + Sobre os músicos:

    PHIL MINTON:

    Nascido em 1940, Ainda vive em Londres, aonde dedica a maior prte de seu tempo unindo forças à comunidade de improvisadores europeus. Phil possue uma técnica vocal rica e única. Nela fica claro a liberdade de expressão, e desenvoltura com que usa a voz, isso foi que faz de Phil um dos mais respeitados cantores conteporâneos, viajando em turnês e ministrando workshops na Europa, Russia, Japão, Australia e Estados Unidos.

    Sua primeira aparição que o consagrou como músico, foi como trompetista e cantor, acompanhando Mike Westbrook e Linday Cooper (Sahara Dust e Oh Moscow) durante anos, e desde então tem se apresentado ao lado de: Dedication Orchestra, 4WALLS, TooT, ‘Phil Minton Quartet’ com Veryan Weston, Roger Turner e John Butcher . Além de seus projetos, Phil ainda tem se apresentado em formatos duo e trio, com: Peter Brotzman, Radu Malfati, Fred Frith, Lol Coxhill e Roger Turner.

    +Sobre Phil Minton por Bristisch Council Brazil : Nos concertos, Minton apresenta o mesmo tipo de performance que o consagrou como improvisador renomado, trabalhando com formas diversas de música, como a canção popular, a composição contemporânea e outras vertentes da experimentação.

    Phil é um dos nomes de maior destaque da cena de improvisação livre inglesa e é conhecido por seu trabalho com músicos como John Zorn, Tom Cora, Fred Frith e Alfred Harth, entre outros, além do trabalho teatral com o diretor Mike Figgs. Em 1988, foi premiado como o Melhor Cantor Europeu, pela International Jazz Forum e, em 1991, recebeu o prêmio Cornelius Cardew de composição.

    Mais do que produzir uma forma de música, o artista tenta criar uma nova atuação, que mexa com a vida das pessoas e sugira novas formas expressivas.

    MARK SANDERS:

    Nascido em Beckenham (UK), Kent Mark começou tocando em Londres dentro da cena jazz/improvisacão no inicio da década de 80. Trabalhou com Dudu Pukwana, Spirit Level, John Butcher, e Phil Durrant, nesta época também iniciou uma grande relação com Steve Beresfod e os saxofonistas Evand Parker e Elton Dean. Desde de a década de 90 ele tem tocado com diversos músicos americanos e europeus, incluidno: Charles Gayle, Noel Akchote, Roswell Rudd, John Tchacai, Carlos Zingaro, Leo Smith, Marc Ducret, Tim Berne, Helene Labarriere, William Parker, Butch Morris’ London Skyscraper, Raoul Bjorkenheim e Sirone.

    Mark também tocou com o grupo Jah Wobble e Springheel Jack além de ter trabalhado com Bill Laswell, Harold Budd, The Frank Chickens, David Sylvian, Pete Lockett and The Heartless Crew entre outros.

    VERYAN WESTON:

    Nascido em 1950, mudou-se de Cornwall para Londres em 1972 e começou tocando piano como “freelance”, e se envolvendo na cena de improvisação do Litte Thretre Club.

    Foi a relação que teve com o Digswell Arts Trust em Hertfordshire em 1975 que o levou a lançar um livro sobre improvisação em piano com o subsídio do Arts Council of Great Britain. Durante este período compôs e fundou o Stinky Winkles. Com este grupo recebeu o prêmio “Young Musician of 1979” pelo o Greater London Arts Association.

    Em Digswell colaborou com diversos artistas visuais e durante este periodo compos para diversos filmes e documentários, em sua grande maioria com Loi Coxhil para Derek Jarmans e para o filme Caravaggio (1985).

    Durante 5 anos coordenou em Bretton Hall como professor o curso de composição e improvisação na Universidade Middlesex.

    Logo após este periodo começou a trabalhar com Eddie Prévost Quartet, Trevor Watts, Moiré Music e duetos com Lol Coxhill e Phil Minton. Trabalhou em outros projetos com Phil, incluindo o quarteto com Jon Butcher e Roger Turner, e o 4Wall.

    LUC-EX:

    Nascido na Holanda, foi durante muitos anos o quinto membro da banda The Ex. Desde sua estréia na banda em 1983 até 2002, passaram-se pouco mais de vinte anos de turnês por todo mundo. (mais informações: http://www.theex.nl).

    De 1995 até 1997 Luc e Tom Cara começaram um novo projeto chamado ROOF que tinha também como membros, Phil Minton e Michael Vatcher. Após a morte de um dos membros da banda, o grupo passou a ser chamado de 4 Walls, e contava com o pianista Veryan Weston.

    Em 2006 Luc foi convidado para tocar na banda Rubatong, com os membros Han Buhrs, Tatiane Koleva e René van Barneveld (Urban Dance Squad). Logo depois foi convidado para tocar no grupo RegenOrchestre XII (Franz Hautzinger, Otomo Yoshide, Christian Fennesz, Tony Buck). Em 2007 começou um novo grupo ao lado de Veryan Weston chamado SOL, com a presença de Isabelle Duthoit, Hannah Marshall, Tony Buck.

    Além do trabalho como músico, Luc é um dos fundadores da distribuidora de discos Konkurrent.

    ***

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s