Controle remoto links

Mais uma vez, lembrem-se que na segunda estréia o filme Bagatela. O trio que toca o blogue recomenda com convicção. É cinema que entusiasma, csem caretice. Vale assistir um filme feito por quem gosta de filme.

Enquanto o projetor não começa a rodar, dá para assistir um pouco de televisão pela internet. Olhando aqui e acolá, encontrei algumas cenas notáveis. O João Wainer e o Roberto Oliveira, do Sindicato Paralelo, disponibilizaram algumas cenas do seu filme: Pixo, na internet. No filme, os pichadores de São Paulo contam sobre as suas vidas, suas atividades e aparecem desempenhando algumas das façanhas que os tornaram conhecidos.

A dupla de realizadores é porreta. Já fez os dvds de grupos como Racionais MCs e o Trilha $onora do Gueto. O João Wainer é fera. Mais fotógrafo que qualquer outra coisa, ele é um repórter de rimeira linha. Faz filmes, textos e fotografias que nos apresentam grandes personagens brasileiros e procuram onde acontecem as lutas populares.

Mais ao sul, outro canal passa cenas da exposição de Pierre Coulibeuf, Dédale, na Fundação Iberê Camargo. Não vi a exposição. Conheci Coulibeuf em 2005, durante a 5º Bienal do Mercosul , em Porto Alegre. A mostra foi a última boa grande exposição do país. Muito diferente das cada vez mais desastrosas Bienais de São Paulo.

Sem fausto, o crítico Paulo Sérgio Duarte montou uma mostra em que reunia uma ótima exposição histórica de arte latino-americana com uma retrospéctiva respeitável de Amilcar de Castro,  nomes incontestáveis da arte brasileira (com um dos melhores trabalhos de escultura que eu vi: A máquina do mundo de Laura Vinci). Aproveitou e  propôs projetos de intervenção pública para a cidade de Porto Alegre e ainda reuniu quatro artistas não íbero-americanos de primeira: Ilya Kabakov, Marina Abramovic, Stephen Vittiello e Pierre Coulibeuf.

Desses últimos, só não conhecia Coulibeuf. Lá fiquei mais impressionado com a coreografia do que com a cinematografia do seu trabalho. Em espaços privados ele dava um ritmo maravilhoso ao movimento dos corpos. Mais tarde, vi seus filmes sobre artistas e pude ver mais de uma vez sua obra dedicada a Marina Abramovic. acho que agora entendo melhor os seus filmes e o seu uso do movimento, mas queria ver mais. No You tube, ele tem um vídeo bonitinho:

Com alegria, aviso que o Heleno Augusto, o homem por trás do Tchan de Raiz, Pagode do Spam, Faixa de Gaza e Samba Honesto voltou à internet. Agora ele nos prepara para a crise financeira na pele de Arnaldo Fernando. Quem já viu as performances de Augusto na Hora do Basta e em outros quadros pelos botecos de Belo Horizonte, acha que ele esconde o ouro. Mas acho que desse mato ainda sai muito mais descontração.

zé

ATUALIZAÇÃO: O Zé Rolê (faço campanha para que ele adote o seu verdadeiro e genial nome) tá cada vez melhor. Direto de Pouso Alegre, como Psilosamples ou como mesmo lançou um discão e ainda cometeu a melhor homenagem ao Michael Jackson que eu vi. Depois precisamos escrever uma postagem só sobre ele. Recomendo fortemente.

Ainda em P.A., os nossos chapas do Pumu acabaram de reunir registros deles em um blog muito legal. Divirtam-se.

Um comentário sobre “Controle remoto links

  1. o Zé é o novo produto pouso alegrense para o mundo! PRAW!

    O mano tá esmirilhando nas produções, vale a pena acompanhar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s