O Dragão do Celular contra o Santo Partido?

Como George Bush, o ainda presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad é um típico representante do Partido de Deus. Conservador, apegado a valores antigos e cheio de verdades pra distribuir. Religião pra mim sempre foi uma questão de escolha, um tema íntimo. Política não, diz respeito a todo mundo. Até quando o sujeito quer distância da política, ele está se expressando politicamente por alguma coisa.

Agora, quando se aplica a razão religiosa quase sempre o que sai daí não é boa coisa. Deus nunca é o melhor conselheiro para quem vota. E pelo jeito a “busca espiritual” se tornou a melhor conselheira das farsas eleitorais e do comportamento agressivo de governos. O novo episódio dessa história acontece agora no Irã,

A treta começou quando o Ministério do Interior do Irã divulgou a reeleição de  Ahmadinejad. Segundo os números oficiais o atual presidente teria obtido 62,6% dos votos, contra 33,8% de Mir-Houssein Mousavi. O candidato de oposição automaticamente entrou com reclamação de fraude e pediu recontagem e votos.

De acordo com apurações da oposição e com documento apresentado pela quadrinista Marjane Satrapi e pelo cineasta Mohsen Makhmalbaf no parlamento euopeu:

O documento estabelece o número de votos para Mussavi, 19.075.723, para (Mehdi) Karubi, 13.387.104, e para Ahmadinejad 5.698.000: isto é tudo.”

Os números não são oficiais e os pró-Ahmadinejad podem dizer que Marjane é uma dissidente crítica do regime dos Aiatolás, e Makhmalbaf um inimigo de Ahmadinejad que acusa o Irã de estar se tornando uma república fascista. Não estariam errados, mas estariam omitindo fatos importantes sobre os dois artistas.

De qualquer forma, muita gente na Internet como o Pedro Doria (que vem feito uma cobertura bastante extensa da situação no Irã) e o conservador Daily Telegraph confirmam os argumentos dos oposicionistas iranianos e apontam que há fraude mesmo. O sistema eleitoral iraniano é bastante complicado e mudanças com a bola rolando são uma praxe pra legitimar as vontades dos aiatolás.

O que não tira o mérito de uma transformação que está acontecendo agora no país. Uma geração de jovens está se mostrando descontente e cansada por viver de acordo com regras religiosas em grandes protestos de rua. E a mudança está sendo feita por um grupo novo e eleitores que , como escreve Pedro Doria, não viveu nem a queda do Xá e nem a guerra Irã -Iraque. O mais interessante é que as tais ferramentas da Internet 2.0 é que permitem que a gente acompanhe isso minuto a minuto.

Na semana passada o blog da Petrobras era saudado no no Brasil por ter furado o bloqueio ilusionista de uma imprensa excessivamente ideológica nos julgamentos e pouco cautelosa na reprodução de declarações. Uma nova maneira de se informar. No caso iraniano é o twitter que se mosra como uma ferramenta mais do que útil para furar a censura do país e se informar sobre os protestos oposicionistas. Até o momento a fonte de informação mais atualizada são a dos seguintes canais do twitter #IranElection, #Tehran, #Iranians, #Iran9.

É com IPs falsos que a oposição do Irã invadiu a Internet com microtextos, fotos e vídeos escritos a partir de telefones celulares. Dessa forma, a população do Irã criou uma verdadeira rede de informações. Além de usar textos, fotos e vídeos que vão para os sites colaborativos. Discursos, palavras de ordem e material de oposição é distribuído pelas passeatas via Bluetooth. Reproduzo aqui um trecho de um post no blog da Nation sobre o assunto (a tradução livre e tosca é de minha inteira (ir) responsabilidade):

Esqueça a CNN ou qualquer uma das maiores redes de notícia americanas. Se você quer a última notícia sobre os protestos da oposição o Irã, você devia estar lendo blogs, assistindo o YouTube ou seguindo as atualizações do Twitter feitas em Teerã minuto a minuto.”

A Al Jazeera também já se ligou do fenômeno e colocou uma boa matéria sobre o assunto no ar:

O curioso, como mostra a Al Jazeera é que para tirar as transmissões via twitter do ar, as autoridades teriam que suspender toda telefonia celular do país do ar. Uma tarefa para lá de difícil em um lugar grande e com uma economia tão complexa como o Irã. Por isso, assim como os discursos do Obama são pensados para impactar o mundo inteiro via YouTube, as manifestações e cenas feitas no Irã também parecem feitas para colocar pressão internacional sob o resultado eleitoral.

Há quem diga que o barulho em torno da divulgação via twitter é excessivamente mistificado pelos entusiastas da tecnologia. Que tudo o que acontece por lá aconteceria com ou sem a ferramenta, mas sem dúvida a chegada do twitter e a possibilidade de cada pessoa produzir e divulgar conteúdo (escrevendo, filmando e tirando fotos) vai dificultar muito a vida de qualquer governo autoritário e de qualquer bloqueio ideológico, seja da grande imprensa, seja de governos autoritários.

19 comentários sobre “O Dragão do Celular contra o Santo Partido?

  1. Imagina se o Marcus Netto iraniano vem ao Brasil e toma como base os taxistas de São Paulo como universo para perguntar quem é o melhor político brasileiro. O Maluf dá de lavada

  2. Não tem nada a ver, mas tem…
    O STF derrubou hoje a exigência de diploma de jornalista para execer a nobre função.

  3. Gente li os dois textos no Azenha. É certíssimo que os Estados Unidos estão loucos para que se concretize a queda do Ahmadinejad e do Kamenei. E é bem provável que eles queiram um governo mais próximo do Ocidente. Mas até aí defender fraude eleitoral e defender um governo que oprime mulher e se guia só pelo xiismo não tem pé nem cabeça pra mim. Sou um cara de esquerda. E acho que esses valores defendidos pelo Ahmadinejad não têm nada a ver comigo. Comparar isso com a experiência brasileira como o faz esse tal de Marcus Neto é uma ofensa. A eleição do Lula diz respeito à ampliação de direitos, ao crescimento de direitos. O governo Ahamdinejad não tem nada a ver com isso, é opressor, censor e desconfiado de sua própria população.
    O Mousavi era muito próximo do Aiatolá Komeini, mas a saída do Ahmadinejad é positiva pro Irã e pro mundo.

    Acho que esse vídeo da Al Jazeera deixa bem claro de onde vem a grana do Mousavi:

    Complemento com um comentário que eu vi no Pedro Doria:

    “Anônimo da Pérsia: Chamar o Mousavi de fantoche dos americanos é uma tremenda forçação de barra. O cara comandou o país em plena guerra com o Iraque, coordenou o esforço de guerra e manteve o país à tona. Agora vão dizer que o Reagan era agente da KGB e que o João Paulo II era gay. ”

    Pois é Pedro, se já servia pouco, agora é que meu diploma não serve mais pra nada. Alguém tá precisando de papel? Alguém tem alguma dica de cursinho?

    Abraços a todos

  4. Na virada do milênio houve uma enquete entre os americanos sobre qual seria a maior invenção do século 20. Ganhou a bomba atômica. Eu fiquei bem indignado, mas e o biquini, a mini saia?

  5. Estou contigo e não abro. Bomba atômica não está com nada, adcionaria às invenções mencionadas o chuveiro aquecido e a penicilina.

  6. vamos vamos Cruzeiro, vamos vamos a ganhar
    vou aonde você for
    só pra ver você jogar
    com o coração e muito amor
    Cruzeiro, o mais querido Brasil…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s