Coisas que só a direita faz

Além de exibir muita perícia na alocação de recursos públicos, a dupla DEM-PSDB ainda encontra tempo para realizar façanhas historico-políticas no país. Recentemente, o governo municipal de São Paulo conseguiu juntar movimentos sociais a ONGs de madame estilo “Cansei”  – juntar setores da sociedade civil à esquerda e à direita.

Contra si, evidentemente.

O DEM-PSDB é força política aglutinadora e leva as massas à rua.
O DEM-PSDB é força política aglutinadora e leva as massas às ruas.

O governo Kassab, pressionado por seus financiadores de campanha, está tentando passar a revisão do plano diretor estratégico do município (projeto de lei no. 671/2007, elaborado pelo executivo), instrumento que procura ordenar e democractizar o uso do espaço urbano e o crescimento das cidades . Resumindo de forma grosseira (mas não muito), a intenção é facilitar a transformação da cidade em um imenso parque de especulação imobiliária, e atropelar o instrumento que regulamenta, para o município, o Estatuto da Cidade elaborado pelo Ministério das Cidades.

Acima de tudo, entidades tão distantes politicamente entre si como a União dos Movimentos de Moradia e o Movimento Nossa São Paulo reclamam da falta de procedimentos democráticos, como consultas públicas, no processo de revisão. As mais diversas entidades se juntaram e redigiram uma carta opondo-se à revisão do plano diretor. Teme-se que, além de ferir os princípios democráticos previstos na campanha federal Plano Diretor Participativo, a revisão anule regulamentações que têm como objetivo, como diz a carta, “garantir a função social da cidade e da propriedade urbana, estabelecer instrumentos de gestão que possibilitem a distribuição das oportunidades e riquezas gerando inclusão social e a preservação e recuperação do meio ambiente”.

Esses caras fazem da democracia uma piada.

16 comentários sobre “Coisas que só a direita faz

  1. Engraçado é ter que escutar loas à competência da gestão pefelista. A pergunta é sempre a mesma: o que a impoluta Soninha tem a dizer sobre isso?

  2. E o que dizer das assinaturas do PC do B, do PMDB, do
    PT, na emenda pelo terceiro mandato? Até o Lula acha isso ruim pra democracia. É ou não golpismo? E o que é a CPI da Petrobras? Como o governo aceita a chantagem do Renan? minha conclusao é que o PT é sócio do PMDB nisso e que o Mercadante está criando a serpente do ovo que ele mesmo chocou.

  3. Gustavo, até agora não existe nenhuma lista e nem cogita-se emenda em favor do terceiro mandato. O Leandro Fortes escreveu um artigo muito interessante sobre isso. Olha só:
    http://brasiliaeuvi.zip.net/arch2009-05-31_2009-06-06.html#2009_06-01_13_10_15-8399269-0
    Acho a criação de uma CPI sobre a Petrobras foi um desserviço ao país. Mas não entendi o que você quis dizer sobre o papel do PT e do Mercadante nessa história. Você fala na definição do cargo de relator e de presidente da comissão? Acho a comissão um despropósito. Como o Carlinhos disse em comentários de outro texto, logo logo eles pedem a criação de uma CPI do crescimento econômico.
    https://guaciara.wordpress.com/2009/06/01/trapalhoes/#comment-1251

  4. O Mercadante trabalhou pela absolvição do Renan. O dep Jackson Barreto tem 178 assinaturas na lista que ele protocolou essa semana. Essa cambada da esquerda é identica aos merdas da direita quando se trata de proteger seus proprios interesses. Nao acredito em mais nenhum desses caras.

  5. Esqueci uma coisa: tenho uma fonte que diz que o Kassab is vendia gabarito de prova quando ainda estudava na Poli.

  6. Não acredito que o Kassab soubesse as respostas certas das provas da Poli. Acredito que ele comprasse o gabarito, como o Serra comprou – ou descolou – o diploma de economista.

  7. Gus, a vida institucional tem uma moralidade decepcionante em vários aspectos. Também acho que os compromissos partidários com a governabilidade muitas vezes são tiro no pé, no entanto, acho que várias coisas que vêm sendo feitas fazem um bem danado para o país. Mais que isso, acho que a democracia brasileira tem feito a vida aqui muito melhor.
    Sobre o terceiro mandato, o PT saiu com uma resolução oficial contra o terceiro mandato e de acordo com a emenda proposta ela não seria implementada em tempo hábil suficiente para que o Lula pudesse a utilizar. É só procurar por aí que você acha. A emenda proposta por esse cara do PMDB, aliás, é uma emenda que pede uma consulta popular sobre o assunto. Como sabemos, o referendo não decide se haverá ou não a liberação para outra reeleição. Além disso, caso fosse aprovada ela teria que ser referendada pela presidência da república e elo STF. Caso passasse pelas duas instâncias, coisa difícil, ela ainda teria seis meses de carência.
    Como são necessários oito meses entre a aprovação do referendo e a consulta efetiva da população, acho difícil que algum terceiro mandato aconteça antes do fim do segundo mandato do presidente Lula.

  8. Tiago, você parece se conformar com toda putaria que acontece no congresso e no governo como algo inerente ao sistema político. E faz o elogio dos avanços que esse governo trouxe. Os avanços são muitos, é fato. Porém o jogo político piorou muito. No governo tucano, os podres se locupletaram na associação bandida com o DEM e PMDB. O mesmo ocorre agora, só que o PMDB é o DEM do PT. Ao permitir a absolvição do Renan, o governo se ferrou. Agora vai ficar comendo na mão do PMDB sempre que precisar de apoio para votar qualquer matéria. E a dupla Renan-Collor vai chantagear ainda mais o governo ameaçando revelar a caixa preta da Petrobrás. O Lula errou muito desde o primeiro mandato ao não propor uma ampla reforma. Agora, às vésperas da eleição de 2010, não há como fazê-la. Estamos vivendo o resultado disso. E o Lula foi eleito com a promessa das reformas política, agrária, fiscal, judiciária. Ao invés disso, o que vemos é o inchamento do estado e o linchamento do cidadão, tamanha carga de impostos que temos que pagar.
    Recentemente conheci Brasília. É revoltante. A sensação de festa com nossa grana é imediata. Todo mundo se gabando dos salários de mais de 15, 20 mil reais, falando claramente sobre as boquinhas nos bares e baladas de lá.
    Quanto à reeleição do Lula, eu sei que as chances de se passar a emenda são pequenas. Mas isso não elimina as assinaturas dos deputados lá naquela lista. Eu acho que precisamos de massa crítica para forçar as transformações que o Brasil precisa. Não basta polarizar tucano e petista. Temos que criticar, cobrar, sugerir essa mudança de postura de todos aqueles que estão lá, não importa de que espectro sejam.

  9. Que caixa preta da Petrobras?

    Foi mesmo o PT que não propôs as reformas?

    Não há inchamento do Estado. Ainda faltam fiscais do IBAMA, só pra citar um exemplo.

    A carga tributária do Brasil é normal, talvez até baixa se considerada a dívida pública HERDADA – em declínio na relação com o PIB – de R$ 1,3 tri. Pode ser descomplicada.

    Brasília é mesmo revoltante. Podre. Há salários muito fora da realidade. Especialmente no Judiciário.

    Polarização é triste mesmo, mas os dois lados não são iguais. Há um MUITO pior.

    Todos os governos são reféns do grupo político predominante, basta enxergar que a sociedade brasileira tem mais semelhanças com o PMDB do que com progressistas.

    Abraços!

  10. Meu, voces parecem habitar outro pais. A carga fiscal nao ta enorme? Eu sou descontado 27,5% na fonte. Mais os outros impostos pago quase 43% do que ganho pra esses putos do governo. Como nao tem caixa preta na petrobras? Ta maluco? E as licitacoes?
    E o estado nao ta inchado? Porra, me arruma um emprego la entao… O Lula contratou 200 mil.

  11. Novamente sobre o Simonal. No Estado de S. Paulo de hoje, há uma entrevista com o Caetano Veloso, sempre falando uns lances que eu acho uma bosta etc etc, mas há um longo depoimento dele sobre o Wilson Simonal muito revelador. Acho que merece uma olhada.

  12. Gus, o pior é que o Estado mesmo não tá inchado. Precisariam ainda de muitos concursos públicos pra sanar a falta de servidores. O problema não é excesso de funcionários, mas é que o dinheiro é mal gasto mesmo.

    Os concursos públicos, principalmente nas universidades, foram um avanço do governo Lula. Antes dele, o funcionalismo era tratado como um problema. O governo Lula fez duas coisas importantes mudou o regime previdenciário do setor público e contratou gente e aumentou o salário desse funcionalismo.

    Ao invés de se alocar em servidores concursados, se gasta muito com assessores e cargos executivos altos e pouco em funcionários.

    No Ibama existem enormes reservas florestais no Norte do país com um só fiscal por exemplo.

    Nas universidades públicas, faltam professores. Nos postos de saúde faltam médicos. Falta muita gente para trabalhar no setor público.

    Eu mesmo trabalho numa rádio pública e até aqui falta gente. E não é ineficiência não. É dinheiro público mal gerido. E como o Ceará disse, o judiciário custa muito. Tira uma parcela muito grande de dinheiro da União.

    Outro avanço foi um aumento de mais de 50% no valor real do salário mínimo. A vida de quem vive de salário melhorou muito. Mas eu também concordo com você. Tem muita coisa a se fazer. O país é ainda miserável, desigual e injusto.

    Os impostos são um ponto importante mesmo. Eu também já fui microempresário e agora trabalho em regime CLT. Também acho que a carga de impostos devia ser transferida para as grandes fortunas e insidir menos no trabalhador assalariado e no pequeno e micro empresário. É tudo gente que vive do dinheiro do mês e paga muito. Enquanto isso, gente muito grande vive de perdões, incentivos e constrói fortunas (que não são taxadas, como nos EUA e na Inglaterra, por exemplo)às custas do Estado.

    Mas o buraco é bem mais embaixo. É só ver a votação da MP 458 que delibera sobre a legalização de terras na Amazônia. Poucos a assuntos têm tanto consenso quanto a necessidade de proteger esse bioma que deve ser o mais importante do mundo.

    No entanto o Congresso Nacional e a bancada ruralista especialmente conseguiram alterar a legislação que pode virar um vale tudo em terras que devem ser preservadas. O que dizer de uma reforma tributária recente. Nada que não signifique a apropriação privada do bem público e isso vai do patrimônio ambiental e biológico da Amazônia até o dinheiro pra cultura…

    Um exemplo é a votação da nova lei Rouanet. Uma das maiores distorções do País é a Lei Rouanet. 90% do dinheiro aplicado na cultura do país vem dos cofres públicos. Mas quem seleciona como esse dinheiro vai ser gasto é o setor privado. Ou seja, são as empresas pegando um dinheir que é público.

    Daí quando se propõe critérios públicos para a gestão de dinheiro público. O pessoal afirma que é dirigismo cultural, autoritarismo e o escambau. Isso por que todo o processo foi escancarado pela Internet e contou com mais de 50 pelnárias no País inteiro para ouvir artistas, produtores culturais, empresários, entidades organizadas, ONGs e o escambau.

    Foi um processo que em qualquer país do mundo seria um modelo de organização democrática, mas para as elites do paiís vira dirigismo.

    Por quê? Porque no Brasil existe um grupo que só aceita a democracia quando ganha essa democracia. Caso contrário é golpe. E o discurso do golpe e antidemocrático ainda é muito forte no Brasil.

    Acho saudável se indignar com as coisas, mas se for pra ser um dead end não vejo proveito na coisa ser discutida. Por isso, não reduzo tudo a porcaria e concordo que a coisa merece ser discutida com mais nuances do que o tudo ou nada. A carga tributária é injusta? Como se resolve isso, quem deve pagar a conta. Por que se gasta tanto dinheiro? Por que extinguiram a CPMF, pór exemplo, que era um instrumento muito eficaz para evitar a sonegação? Tudo isso deve ser perguntado.

    É mais fácil decidir que nada presta do que aprender o que está acontecendo de verdade, entender as questões, os problemas, as regras. À corja, só interessa a escuridão e a generalização do “todo mundo é corja, melhor você nem se importar com política que não vale a pena mesmo”, afinal é esse raciocínio fácil que permite que eles não sejam diferenciados do resto.

    Existem muita coisa a se indignar, muita coisa que dá raiva, mas o discurso mais fácil é se diferenciar dos “políticos corruptos” e não assumir que o seu voto e a sua participação na sociedade não têm a ver com eles. Quanta gente se lembra de quem votou para deputado nas últimas eleições. Começa por aí, mas vai bem além…

  13. Gus, antes de mais nada, agradeço muito a sua participação. Você sempre lê e comenta os textos, não sei se gosta, mas isso já me dá uma alegria danada. Por isso, saiba que você tem cadeira cativa de frente para o gol.
    Agora, não dá para tratar quem pensa diferente de você como gente fora da realidade. Né não meu querido. Para que a reflexão melhore, é preciso drenar um pouquinho da bile.
    Vou listar uns assuntos e dar um pitaco fuleiro em cada um:
    Sobre o inchaço: Eu não sei se isso é verdade. Em comparação com estados muito mais “privatistas” (apoiados na contratação de empresas privadas, terceirização e no domínio dos oligopólios) que o nosso, como os EUA, o gasto com pessoal não é grande. Achoi que o número de cargos de confiança tinham que diminuir e a boquinha tinha que dinminuir mesmo, sobretudo no segundo escalão das empresas e órgãos administrativos.
    O governo atrapalhou, mas sabia que até fez um esforço de melhora nesse sentido? Em alguns ministérios, como saúde, educação, desenvolvimento, receita federal etc. Predominam os técnicos da burocracia federal (aliás, uma burocracia superqualificada).
    A casa civil tentou colocar na pauta do congresso a votação sopbre a mudança da carreira. Isso seria um avanço tremendo, mais funcionários concursados ocupariam cargos de direção, o que incentivaria os funcionários. Existiria a chance real de ascenção.
    A pauta ficou trancada durante a CPI das teles e não sei como está o trâmite no congresso.
    A Petrobras fez sua parte, ao contrário do que alardeiam, a presença de gente da empresa dnos cargos de direção é cada vez maior. Tá certo que as transpetro da vida não mudam, continuam na mão da negocviata partidária, mas vai melhorar, escute o que eu digo.
    Essa profissionalização, deveria ser piroridade. Como o Lula aposta na idéia de políticas de estado que são temperadas por políticas de governo, é importante ter quem cuide das metas de longo prazo, independente dos governos.

    Em segundo lugar, acho que existem parlamentares bons no governo e na oposição; no PT, no PSdb, no PMDB e até no PSoL. A maioria é muito fraca, independente da moralidade, muito fraca de projetos para o país mesmo. Os mais cobertos de holofotes costumam ser os piores. O PEdro Simon, por exemplo, paladino da moralidade, até agora está caladinhop sobre o governo da Yeda, não propôs nenhum projeto de lei e é apresentado como um herói do Brasil.

    No entanto, esse pessoal representa concretamente o país e leva demandas reais para o congresso nacional. Goste-se ou não, é com eles que o executivo deve governar se quiser fazer qualquer coisa. O PT fez a cagada monstra de condenar moralmente o governo FHC pela aliança com os pefelês. Era uma opção e uma opção legítima. Não pode ser julgada do ponto de vista moral. Deve ser julgada politicamente. O engraçado é o que o PT tinha de pior agora saliva na boca da oposição.

    Por isso, acho que a fidelidade partidária, já é um avanço, embora a discussão sobre a reforma política precise ser levada adiante (a discussão, não sei se é o caso de outras mudanças institucionais).

    Por fim, acho que é a consolidação da democracia que vai permitir o país lidar com esses demônios, não é uma limpeza no país e nem um foda-se generalizado. Esse ponto de vista moralizante não parece construir alternativas reais para quem vive aqui.

    No mais, eu acho que sou otimista mesmo. Razões pessoais, inclusive, fazem com que eu me sinta assim. Vim de uma cidade indústrial de porte médio e em 1997 todos os meus amigos de adolescência estavam desempregados, sem perspectiva. Hoje, tá todo mundo se virando bem. A Universidade pública estava às moscas, hoje gente muito boa dirige essas instituições e a produtividade é bem razoável (aliás, o ensino fundamental e médio começa a ganhar com os efeitos da melhora do ensino superior — no site do MEC e da Ação Educativa têm alguns resultados nesse sentido).
    Bem, falei demais. Obrigado mesmo

  14. Unquestionably imagine that which you said. Your favourite justification appeared to
    be at the net the easiest thing to have in mind of. I say to you, I definitely get annoyed while other
    people consider worries that they plainly do
    not recognize about. You controlled to hit the nail upon the top as well as outlined out the whole thing without having side effect , other folks can take a signal.
    Will likely be back to get more. Thank you

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s