MAHABARATHA PARA JOVENS (Rafael Campos Rocha)

Em todos os sentidos, o Mahabaratha é um dos maiores clássicos da literatura. O livro tem a importância equivalente ao seu número de páginas. Em seus milhares de versos , define alguns paradigmas da literatura e pensamento indianos. Influenciou todo o mundo escrito e é um dos artefatos mais importantes da antigüidade.

Atribuído a Krishna Dvapayana Vyasa, organizou uma série de narrativas mitológicas da região e fez delas uma história épica. É um dos textos fundadores da cultura hindu, que foi longe e inspirou peças de teatro, formas de narrar, a iconografia indiana e obras modernas, como um filme belíssimo do Peter Brook .

No ano passado,  Rafael Campos resolveu cortar o papo-furado e condensar o livro em uma página. Ele diminuiu a  história da grande Índia para que sobrasse o que ela tem de mais universal: sexo, violência, anéis chineses, ascenção aos céus  e relações de parentesco pouco convencionais. Aliás, foi um parente muito convencional, mas místico, do nosso colaborador que o inspirou nessa empreitada.

Antes de passar ao texto, lembro aos amigos que amanhã o Rafael inicia o seu heterodoxo curso de história da arte no Espaço Eden.

Para se matricular ligue: : (11) 3063-2299 – 7262-9971

O elefante
O elefante

O Mahabaratha para Jovens

(Rafael Campos Rocha)

O Mahabaratha é um poema épico ainda maior que a Bíblia que conta a história do mundo pelos olhos de um elefante, que todos sabemos tem uma memória ó-te-ma, sendo, portanto, o tal livro de 300 mil versos absolutamente confiável e verídico.

Nele, uma família de seis marmanjos liderados pelo irmão mais velho é banida para morar 13 anos na floresta, praticando o gangbang com a esposa ponta-firme dos seis. A pichula, inclusive, prometeu não lavar o cabelo enquanto não fosse no sangue de um fulano que caçoou dela quando um de seus maridos perdeu o reino deles pra um parente perverso numa aposta de dados. Vai vendo. Os outros irmãos pareceram não ligar pra mancada e foram juntos com o tudo-por-um-seis passar mais de uma década no mato. É que era tudo parte do Dharma deles, eu acho. Eles ainda tiveram que se fingir de plebeu, pra evitar a tiração. Problema é que o anonimato atraiu uns manés pra cima da mina dos caras. Ao que parece, ela não sofreu o menor desgaste na carinha e no corpicho depois de anos de suruba e de cabelo ensebado.

Gang-Bang Pandava
Gangbang pandava

Esses tais maridos só não tinham ciúmes entre eles (anel-chinês amigo e tal e pá), o que obrigou o mais grandalhão deles, o Bhima, a fechar o paletó de vários dos desavisados que cresceram o olho pra cima da princesa, tendo inclusive um deles sido amassado até virar uma almôndega. O Bhima é terrível quando quer. E usa uma massa de guerra, que é a cara dele. Os outros são uns gêmeos gatérrimos mas que não abrem a boca pra nada, e que gostam mesmo é de lutar de espada (hahaha). Um outro, que não lembro o que faz e a que veio, o Arjuna, é amigo do Deus Krishna em pessoa e gosta do arco e flecha e esse tal de Dharmaraja, ou Dharmaputra (prutaqueospariu! isso é nome?) que parece um cara justo e razoável até que alguém o convide para jogar dados e ele ponha tudo a perder.

Pois bem, depois de 13 anos na roça, os tais Pândavas (que são esses irmãos excêntricos casados com uma tetéia só) resolvem retomar o reino deles na marra e organizam um exército para combater os primos usurpadores. Na hora H, o Arjuna – que iria comandar o bonde – vacila, porque do outro lado estão os parentes e amigos-da-onça que haviam jurado lealdade aos traíras quando esses se tornaram reis. É nessa hora que entra o Krishna com tudo, jogando um 71 tão convincente no ouvido do bacana que faz o cara partir pra dentro e comandar a carnificina.
Os Pândavas (guerra, suruba, Dharmma) recuperam o reino às custas de um milhão de vidas, continuam casadinhos da silva com a fulana, que ao que parece conseguiu cumprir a promessa cabulosa e agora pode tomar um banhinho depois das obrigações maritais. Os Pândavas (gangbang, jogo de dados) comandaram o barraco até ficarem bem velhinhos, que é quando eles sobem num morro que leva os caras direto pro Céu. No próximo mês eu conto a história da Bíblia – que como eu disse é menorzinha – em 8 linhas.

Glossário
Glossário – tipo um dicionário que explica tudo o que você acabou de ler.
Mahabaratha – um livro indiano contado por um elefante que por sua vez ouviu de um velho maluco. Você acabou de ler o enredo, inclusive.
Indiano – um índio que não nasceu no Brasil, mas na índia, que é um país ainda mais distante que Arthur Alvim.
Elefante – um bicho grande, gordo, com umas orelhas imensas e um nariz tão grande que toma banho de ranho. Tem quem goste.
Bíblia – Outra história, dividida em duas partes: a primeira conta a criação do mundo e a segunda de um cara que veio pra salvar o mundo e que não era o super-homem.
Floresta – conjunto de árvores.
Gangbang – prática sexual envolvendo uma mulher e diversos camaradas.
Década – dez aninhos.
Dharma – Destino, acho.
Plebeu – um cara que não é rei.
Anel-chinês – prática sexual que envolve dois camaradas e uma mina. Seu nome foi inspirado naquela algema chinesa que prende os dois indicadores do sujeito, um apontando pro outro.
Indicadores – seu dedo de caguetar.
Usurpador – um ladrão de posto de chefia.
Obrigações maritais – o que a mamãe faz com o papai por obrigação e com os amigos do papai por diversão.

14 comentários sobre “MAHABARATHA PARA JOVENS (Rafael Campos Rocha)

  1. Demazz. E olha que eu li um resumo de 80 páginas uma vez e ele não era tão CONCISO e INFORMATIVO como esse.

  2. Pô, dá pra passar lá no Guaciara, gastar duas horas por semana com o Tiago (e olha que “só” conversar duas horas com o Tiago é difícil) pra conhecer um monte de artista legal, gravar uns discos, ver um filminho e o melhor:de graça. Pra quem não pode, recomendo o curso do Rafael. Rá!

  3. O curioso é que esses mitos fundadores sempre comecem com uma putaria, da trepadinha modesta do casal da Bíblia no Eden ao Gang Bang dos irmãos no Mahabarata.
    E aí Gilsão, tamo esperando o seu texto sobre futebol. Aquele do impedimento já conta com uma legião gigantesca de fãs.

  4. Olha o cara, oferecendo meus serviços gratuitamente aqui no blogue. Arthur, muito obrigado pelo elogio, mas o curso do Rafa é supimpa! Tem que pagar mesmo, ele é fera.
    abraços a todos e obrigado por comentar

  5. hahahhahhahhahahhahahhaha. rafa, apresenta essa fulana sucesso ae ahhahahhahha. ansioso pela bíblia em 8 linhas, fui!

  6. Muito bom! Tô louco pra ler o da Bíblia.

    Esse Arthur Zé Maria é folgado demais!

  7. huahuahuahua, zé maria Jr. uhahahuahuauh
    Manda logo o da biblia minha professora de catecismo pediu pra ler e no site do zé moleza num tem resumo. to precisando!!
    amém jizuiz!

  8. Mahabarata, é uma obra taõ bonita, para ser espinafrada como ese tal de rocha o fez. Dá para levar a sério? Assisti o filme umas quatro vezes, e cada vez descubro algo novo. Mahabarata e a Bíblia, são duas obras da maior importância, precisam ser respeitada. Não se pode fazer piadinhas, sem graças com uma obra da importãncia de Mahabarata.
    Acho que você misto de escritor e deboche, devia se envergonhar de trucidar uma obra tão importante como Mahabaratha. Seu mal gosto é tão grande quanto importância da obra.
    Esopero que você repense sua forma de escrever, não fica bem essa demosntração de ignorância. Acho que você é um humorista frustado não consegue se levar a sério.
    Desculpe-me pela crítica, não tive a intenção de ofende-lo, mas sim de alerta-lo para o mal gosto na forma de analisar a obra.

  9. é um absurdo, um acinte, uma pouca vergonha! Estou ruborizado. Vou lá dentro, ler as Confissões Agostinho em três ilustrações para ver se me recupero.
    Agora, o melhor é rir, não é? Só por curiosidade, você é a Telé Cardim, a vaiadora histórica dos festivais? se for, é uma honra ter nosso blogue espinafrado por você.
    abraço e volte sempre

  10. Telê tem toda razão! quem esse rafael pensa que é? bilhões de anos de cultura védica avacalhados por esse comediantezinho frustado, sem cultura, sem sobrenome, sem nada! por isso é importante sempre acompanhar o que os técnicos de futebol aposentados – e mesmo mortos – têm a nos dizer!

  11. Vc é um idiota!

    É de pessoas como vc que são formadas as igrejas que exploram pessoas, pois vcs não tem capacitade cromossomial para interpretar tal livro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s