Elipses de Richard Serra

Em 2007, Richard Serra fez uma grande retrospectiva Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA).  Aqui, ele fala de algumas das peças que ele instalou no museu. Ele é um dos meus maiores ídolos. Ver ele falando no ano passado foi uma das experiências mais importantes do ano passado.

4 comentários sobre “Elipses de Richard Serra

  1. Serra respeita o trabalho de Jorge Oteiza (Amilcar de Castro já expressou todo seu apreço por esse escultor basco). Ele escreveu a introdução do catálogo da polêmica exposição de Oteiza no Gugg´s, de Bilbo. Essa tríade para mim tem um inestimável valor.
    Aurrera!!

  2. O trabalho do Richard Serra tem uma evidência
    fora do comum. Claro que este é um aspecto que se constata em trabalhos de alta qualidade. No entanto no Serra este fator me chama demais a atenção. E há também algo de misterioso nestas peças. “O mistério das cidades longamente habitadas”, como disse muito bem o Rodrigo Naves, se referindo a elas. Aliás seria interessante postar aqui um pequeno trecho que o Rodrigo escreveu sobre os trabalhos do Serra, num prefácio do livro “Arte e Cultura ” do Greenberg: “…Seus trabalhos têm aspecto e escala industrial, embora revertam completamente a idéia de transformação suposta pela industria. feitos em geral de aço córten, oxidados, eles lembram mais a interrupção de um processo do que sua consecução.A cidade é quase sempre seu ambiente.Só que diante deles, a partir deles, a cidade momentaneamente interrompe seu fluxo.A circulação de pessoas e mercadorias se rende a um momento de qualificação.A trama urbana perde sua naturalidade e converte-se em experiência. As peças de Richard Serra têm o mistério das cidades longamente habitadas__Essa topografia afetiva que nos é legada__e a disponibilidade do que está por começar.Suas formas intensas e instáveis revelam plenamente a indecisão da cidade contemporânea, da vida que levamos__a possibilidade angustiante de ser somente passagem ou chegar a ser convivência.

  3. Alexadra, essa turma é dapesadíssima. Nusga. aliás, o país basco tem muito escultor bom. Quem tinha uma relação muito próxima com o Oteiza foi o Franz Weissmann, eles chegaram a viajar juntos e aprontar nesse mundão.
    Rogério, acho o cabra um gigante. Além de ter uma clareza asoluta do que conta pra nós com as suas intervenções
    abraços e apreçam sempre

  4. Existe foto do Oteiza com o Weissmann na porta da casa de Oteiza, em Irún, cidade fronteiriça que você conheceu… hoje a casa tá caindo aos pedaços. do lado, funciona um puteiro chinfrin… coisas de fronteiras…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s