John Fahey (1939-2001)

Enquanto dou uma sapeada nos jornais e revistas nesse domingão (peguei mania de comprar a edição latino-americana da Newsweek, apesar de ser uma revista conservadora e previsível), atrás de assunto pra esse blogue (as eleições de 2010 estão começando), aproveito para fuçar a cacetada de gravações do John Fahey que chupinhei de David Daniell, que me emprestou o apê dele e da mulher, a simpática Regina Greene, há exatamente um ano, no meio do inverno sinistro de Chicago. Ouve aí.

9 comentários sobre “John Fahey (1939-2001)

  1. Acho o John Fahey um dos grandes músicos do século passado. Deu uma direção completamente nova à musica americana. Acho que uma de suas contribuições foi a de quem achava possibilidades muito maiores que as linhas predominantes de desenvolvimento da música daquele país tinham conquistado. Fahey encontra outro caminho, vai em outra direção.
    Acho que quem pensou também nesses termos foi o tocador de banjo sandy bull. Vai um link da fera:

    http://www.sandybull.net/
    http://www.myspace.com/404819447

  2. Legal o post sobre o Fahey, embora eu conheça pouco e esse conhecimento tenha sido mediado pela Drag City. E concordo a respeito do Sandy Bull. Coincidentemente, Sandy Bull tem sido motivo de audições recorrentes nos meus últimos 3 anos. Através dele descobri o Luiz Bonfá, um grande instrumentista/compositor da música brasileira.

    Ceará, olha esse trecho aqui, do link do UOL: “Com Giuseppe Cocco, publicou “Global – Biopoder e Luta em uma América Latina Globalizada”, em 2005.” Giuseppe Cocco é marca de macarrão! 😛

  3. Ceará, essa frase do Negri para mim é especialmente interessante: Mas ouça, o problema é esse: eu acho que as coisas das quais foi acusado Battisti são coisas muito graves, mas – e isso me parece importante dizer – estas são responsabilidades compartilhadas por toda a esquerda verdadeira.

    Realmente, não entendo a perseguição do Mino Carta. Esse lance de bater na tecla que havia um Estado de direito na Itália naquela época, assim como confiar que o governo Berlusconi mova por princípios regulares me parece uma insanidade. Já tô começando a montar teorias conspiratórias sobre isso tamanha é a insânia.

    Eu conheci um italiano, faz uns 5 anos, que participou da Autonomia nos anos 70 na Itália e que conhecia bem o Battisti. E sei bem de como funcionaram as regras de exceção do estado italiano para essa gente e como não funcionou para os grupos de terror de direita. O famoso dois pesos duas medidas.

    Mas minha parte eu fiz: cancelei a assinatura da Carta Capital.

  4. salve rapaziada, recomendo o disco do John Fahei com o Cul-de-Sac (acho que se ecreve assim)!

  5. Por faar em Cul de sac, o Glenn Jones tem tocado as coisas na renevant (selo do Fahey). sobre o Cesare Battisti, taí um assunto sobre o qual eu não sei o que falar

  6. Foi mal pelo meu off-topic, que é mesmo bem complexo…

    Mas eu tô dando um crédito pro Tarso Genro nessa. Obrigado pelo dialógo, trutas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s