30 anos de The Ex

Hoje tem muita banda jovem que quer ser um terço do que  The Ex é.  Lá no comecinho dos anos 90, os discos que eles gravaram com o violoncelista Tom Cora mudaram a todo mundo que andava comigo em Pouso Alegre. As músicas do conjunto ofereciam uma perspectiva mais radical e abrangente do punk, da canção popular e do mundo.

Nesse ano,eles farão trinta anos. O curioso é que o vocalista GW Sok deciciu largar o grupo agora, depois de 29 anos. Ele era um dos dois membros originais, junto com o guitarrista Terrie. Mas o Ex continua e isso não me espanta. Hoje a sua lógica de funcionamento é mais parecida com a de um combo de artistas, que se refaz em diferentes formações, do que com a da formação tradicional da banda de rock.
Seguem quatro vídeos dos The EX:

Com o saxofonista etíope Gétatchèw Mèkurya , em Nova York, no ano passado

No estúdio da WFMU em 2007


Ex Orkest toca Kokend Asfalt (State of Shock) em 2000.

Ay Carmela, 1997

5 comentários sobre “30 anos de The Ex

  1. Ao longo dessa carreira, o The Ex se envolveu em tudo que eu gosto muito em música. Em tudo. Eu não falo nada por que sou fã demais. Mas é impressionante como a banda em si e seus integrantes em separado só fazem coisas legais, tudo com propósito estético absurdamente coerente e com um posicionamento político forte. É outro departamento.

  2. Nossa, se eu falar que chorei aqui vai pegar mal? O Lauro encerrou tudo o que penso de mais pontual sobre o grupo. O meu vocalista predileto deixou minha banda predileta. Isso é quase como se eu perdesse a namorada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s