Hoje a noite, Rafael Campos Rocha participará de uma mesa redonda no Paço das Artes, às 19h, sobre o ensino universitário e as artes plásticas. Diante do convite inusitado, ele escreveu uma nova história em quadrinhos. Antes, publico seu intróito:

gostaria de convidá-los para o debate que vou participar no paço das artes, essa terça-feira, dia 1 de dezembro, às 19 horas. é sobre a importância (ou não) da formação acadêmica na vida artística de um artista. se vcs estão espantados com minha participação nesse debate posso garantir que faço eco à vossa estupefação. enfim, será mais uma intervenção-palestra-performance em que procuro explicar de uma vez por todas o funcionamento do aparelho digestivo das corujas. um mistério da ciência que exige respostas, não importa a que preço.
a boa nova  é que anexei o fólio de número #38 do fanzine “O Poder do Pensamento Mesa-Redonda”, em que trato de minha vida escolar e que também será distribuído de forma impressa no referido evento.

O convite

cinefilia03

 

Deus-III

Imagens da exposição do Rafael

garoto de ipanema 2

garoto de ipanema 3

garoto de ipanema 1

sexy

O Rafael Campos estará na audioexposição 4’33”, inspirada nos minutos de silêncio de John Cage. O trabalho ficou supimpa.

E na sexta-feira haverá o lançameno da ótima revista de quadrinhos Graffiti em São Paulo no espaço +Soma, com discotecagem do DJ Rafa. imperdível.

Serviço:

Lançamento da Graffiti #19 no Espaço +Soma
Quando . Sexta, 31 de julho de 2009
Horário . À partir das 19h
Entrada . Gratuita

pagamento

ATUALIZAÇÃO: os autorretratos do Rafael estão imperdíveis. 1, 2 e 3

gibikomodo01

gibikomodo2 copiagibikomodo03

macho alfa2

ATUALIZAÇÂO (18: 55): O Atlas da questão agrária brasileira, desenvolvido pelo geógrafo Eduardo Paulon Girardi no Programa de Pós-Graduação em Geografia e no Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária (NERA), da Unesp de Presidente Prudente, é do maior interesse.

Bíblia I

mosaíco do século XII

mosaíco do século XII

Bom, no começo eram as trevas e a face de Deus pairava sobre o Abismo, o que é um começo do caramba, vocês hão de convir. Aí Ele mandou vir a Luz, separou a terra dos oceanos, criou os peixes, os animais terrestres, as aves… mais ou menos nessa ordem. Domingão criou os gols da rodada, a cerveja e os pés pra cima. Segundona, na falta de companhia pra comentar a féria, Deus criou O cara. Não, não era o Romário. Era um tal de Adão, que não era besta nem nada e pediu pro Homem companhia, que Deus, que era fera, tirou da cartola, ou melhor da costela do marmanjo, na forma de um pitéu novinho em folha. Finalmente Adão tinha companhia pra tomar banhinho de riacho, dormir juntinho na moita, comer graviola no pé, uma beleza. Entretanto, por inexperiência ou falta de gosto, Adão achava que Eva era boa companhia dar nomes aos animais ao invés de dar nomes aos bois e ficavam num embaço que exasperou até uma cobra grande que dava um bonde por ali. Foi preciso o bicho dar um 71 no escutador de samba da Eva, que gostou do esporte e foi continuar o bem-bolado com a serpente do songo-mongo do Adão. E de troco comer o fruto proibido e ficar com vergonhinha das partes e pular na moitinha pra botar folhinha de parreira, que foi o que, compreensivamente, irritou O Velho. Frescura essa agora! Terminou essa história com Deus mandando o Homem trabalhar, perder a vida imortal e sair de casa. Ou seja, Adão se fodeu. E pra mostrar que Deus sabia castigar, além de trabalhar Adão e Eva pariram e alimentaram duas pestes nada católicas, já que um rachou a cachola do outro na disputa de quem era mais puxa-saco do Vovô. Daí em diante a Terra virou a bela bosta que é.

Raymond Pettibon: "Dont fuck with the Apocalipse"

Raymond Pettibon: "Dont fuck with the Apocalipse"

Bíblia II: Evolution

E Deus afogou, mandou praga de sei-lá-o-que, transformou em estátua de sal e ninguém se tocava. Foi aí que ele mandou o próprio Filho dar um jeito na quizumba. Mas sem autoridade e fazendo carinha de dodói pra tudo que é desaforo, Jésus deixou a desejar na função e Deus mandou voltar. Não sem antes dar uma multa de umas trocentas chibatadas, uma crucificação e um cutuco federal que vazou o mano, que ainda agonizou um dia inteiro antes de poder dar a baixa. Obrigou a hora extra, vai vendo. Mas parece que isso foi o suficiente pra nos salvar, já que agora a gente pode viajar com o dinheiro do erário que nem praga de gafanhoto cola mais. Ou será que a gripe palmeirense é um presságio?

dar um tempo copia

De quebra, segue a página da ótima Royal Improvisers Orchestra, fundada em Haia, na Holanda, pelo amigo Yedo Gibson. O grupo é uma das coisas mais cheias de vida e de novidade que eu escutei recentemente. Estou muito animado mesmo. A razão para o entusiasmo é a alegria da música deles e o seu aspecto anticonvencional. Eles não se rendem nem ao bom gosto moderno de algumas formações da improvisação. Tocam como se vivessem no reino da abundância. Um dos instrumentistas é um ídolo antigo: o Renato Ferreira, também integrante do Abaetetuba, formação musical  criada pelo percussionista Antonio Panda Gianfratti que um dia ainda terá uma postagem especial.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 90 outros seguidores